Arquivo da categoria: tom ford

TOM FORD, QUE CHEIRO ESTRANHO!

A Tom Ford adora causar… Essa nova campanha de perfume da marca do texano alguns podem considerar um cu, mas outros com certeza irão amar – os berlinenses por exemplo!

claro que a foto só poderia ser do Terry Richardson

Anúncios

A NUDEZ DA NOVA CAMPANHA DE TOM FORD É…

CAFONA!

Mas essa bobagem, mais um truque de mestre do marketing que se instala no belo corpo do senhor Tom Ford, tem a clara pretensão de polêmica fútil. Só cai quem gosta de uma boa poeira para os olhos.

foto: Ryan McGinley

O blog Nullius quando escrevi sobre a moda na década de 60 me chamou a atenção para as imagens do fotógrafo americano Ryan McGinley de uma nudez naturalista, sem o peso do pecado original e que foi fonte de inspiração para o belo videoclipe do Sigur Rós.

A moda vive do eterno avanço em seu diálogo com a nudez, não do seu choque.

YVES SAINT LAURENT FINALMENTE JÁ ERA (MAS SERÁ SEMPRE)

Macumba de Tom Ford tem poder! A bicha fina dus infernus nunca deve ter engolido direito o vodu que o Saint Laurent fez ao abrir sua boca e expressar  sua verdadeira opinião sobre ter um texano em seu lugar e, sorry as up-tp-date de plantão, infinitamente inferior ao gênio francês.

Na época eu fiquei meio em choque com a posição de desprezo de grande parte das fashionistas em relação a essa mudança. Pra mim era como se falassem pra Fernanda Montenegro: “Vai pra casa porque cê ta véia e agora teus papéis serão da Juliana Paes”. 

Infelizmente YSL não está mais entre nós e com certeza perdemos uma das maiores expressões em moda de todos os tempos.

O mais engraçado foi que ele partiu depois de maio. Depois de 40 anos de uma mudança comportamental que ele também ajudou a forjar.

Ele foi responsável, junto com Pierre Cardin, pelo que chamamos de multiculturalismo na moda, antes mesmo desse termo existir, ao chamar modelos de feições não européias para a sua passarela.

Ele promoveu a igualdade dos sexos, antes mesmo das feministas queimarem seus sutiens em praça pública com o “le smoking”, que a chave estava na calça de smoking para mulheres numa época que o sexo feminino tinha como suas peças mestras as saias e os vestidos.

Ele entendeu que mais que um glamour ligado à grana, ele está ligado à atitude e por isso abriu uma loja na chamada Rive Gauche de Paris, identificada por ser a região dos intelectuais, militantes de esquerda e estudantes. E com isso impulsionar para uma posição de destaque o recente prêt-à-porter.

Ele amou a moda e sua época!
Enfim, ele esperou maio acabar para perceber que nada será como antes, amanhã!

 

QUANDO PERO VAZ CAMINHA… – A VISITA DE TOM FORD EM TERRAS BRASILIS


Quando as caravelas chegaram ao país deve ter rolado um frisson entre os índios, mas não tão forte como a visita de Tom Ford a São Paulo. 

Era meio irritante até o assunto porque antes da visita, Ele, como disse Maria Prata, canalizava todas as atenções das rodinhas fashionistas e como eu disse no meu pensamento fraco, a evolução não significa progresso…

Nesses momentos eu tenho vergonha da chamada elite do país, tão sem auto-estima, fazendo um papel tão suburbano…

Ao ler as primeiras impressôes, fiquei meio estarrecido com tanta babação de ovo. Mas de repente descobri verdadeiras cartas de Caminha.

Me deliciei lendo Sylvain e Mario Mendes, confesso que achei que eles até, dada a verve e humor de ambos, foram contidos. Mais  encontrei um gosto acre-doce único nas crónicas de Milene Chaves e Maria Prata. Os 4 valem leitura, até porque se um antropólogo no futuro quiser saber o que acontecia nesse rincão poderá ter uma visão mais honesta nesses relatos.

Enfim, não vi Ele, mas adoro pensar que quando voltar ao país, se voltar, terá o  desprezo digno que recebeu Nick Cave, Naomi e todas as estrelas que ficam muito tempo por aqui. A gente é jeca mas é perverso também!