Arquivo da categoria: nudez

A LOKONA DA BUATCHY

Depois da Trash 80’s, Ronaldo Esper ataca no Glória e o nome da noite não poderia condizer melhor com as imagens abaixo: Perversa!
3073365748_5c62c35265
3073361634_060d54449c3073362702_5aabe45c37
fotos: Fábio Motta

MEU CU…

dsc00009

Quer dizer, do Rodrigo Rothen! Ou como aprendi com minha amada Dra Vodca: um anal.
Um pouco de atitude punk nessa quarta chata.

TODA NUDEZ SERÁ CASTIGADA

Ele mesmo deu uma alfinetada em si mesmo própria!

noja2

Deu na Katylene! Lá diz que Ésper falou que muitos acharam a bunda dele muito bonita.
Já não é a primeira vez que ele faz isso de vir uma Luz del Fuego de dentro e ficar como veio ao mundo. Lembram do “Gordo Visita”?

TOM FORD, QUE CHEIRO ESTRANHO!

A Tom Ford adora causar… Essa nova campanha de perfume da marca do texano alguns podem considerar um cu, mas outros com certeza irão amar – os berlinenses por exemplo!

claro que a foto só poderia ser do Terry Richardson

SPFW – ÚMIDO

texto feito em conjunto com o Te Dou Um Dado?

A Rosa deu um Chá de cadeira na gente, mas nós aguentamos (ô se aguentamos, firme) tudo pela volumetria na moda praia masculina.
Didi, iniciante no jornalismo de moda, estava pronto pra sua primeira aula comigo, mas se saiu um aluno disperso, principalmente quando a modelagem ressaltou o grande talento de Alex Schultz, cujo seus longos atributos fez Didi ovular.
Emocionante a iniciativa de Amir Slama apoiar o retiro das modelos e nos trazer, pela enésima vez, o tostado Paulo Zulu (que faz jus ao sobrenome e aboliu o uso de protetor solar, pra ficar bem zulu).
A coleção parecia uma releitura (Helen Pomposelli ensinou bem o uso desse termo – não termas – pro Didi!) da coleção loucurinhazzzzz (já essa palavra veio da convivência intensa de Didi com Marcelle) Cangaçeira da marca em 2005, só que dessa vez numa levada cangaço goes to The Week. Enquanto as mulheres tiveram uma vulvaginite aguda, as bees sairam de Almada lavada.

Mas ninguém resumiu melhor uma coleção, nem mesmo um press release bem escrito (isso existe?), do que a primeira entrada (ui!) da marca. Ela prova que modelo pra ficar bem na sunga da grife só precisa de uma coisa: tirá-la!

A NUDEZ DA NOVA CAMPANHA DE TOM FORD É…

CAFONA!

Mas essa bobagem, mais um truque de mestre do marketing que se instala no belo corpo do senhor Tom Ford, tem a clara pretensão de polêmica fútil. Só cai quem gosta de uma boa poeira para os olhos.

foto: Ryan McGinley

O blog Nullius quando escrevi sobre a moda na década de 60 me chamou a atenção para as imagens do fotógrafo americano Ryan McGinley de uma nudez naturalista, sem o peso do pecado original e que foi fonte de inspiração para o belo videoclipe do Sigur Rós.

A moda vive do eterno avanço em seu diálogo com a nudez, não do seu choque.

YVES SAINT LAURENT FINALMENTE JÁ ERA (MAS SERÁ SEMPRE)

Macumba de Tom Ford tem poder! A bicha fina dus infernus nunca deve ter engolido direito o vodu que o Saint Laurent fez ao abrir sua boca e expressar  sua verdadeira opinião sobre ter um texano em seu lugar e, sorry as up-tp-date de plantão, infinitamente inferior ao gênio francês.

Na época eu fiquei meio em choque com a posição de desprezo de grande parte das fashionistas em relação a essa mudança. Pra mim era como se falassem pra Fernanda Montenegro: “Vai pra casa porque cê ta véia e agora teus papéis serão da Juliana Paes”. 

Infelizmente YSL não está mais entre nós e com certeza perdemos uma das maiores expressões em moda de todos os tempos.

O mais engraçado foi que ele partiu depois de maio. Depois de 40 anos de uma mudança comportamental que ele também ajudou a forjar.

Ele foi responsável, junto com Pierre Cardin, pelo que chamamos de multiculturalismo na moda, antes mesmo desse termo existir, ao chamar modelos de feições não européias para a sua passarela.

Ele promoveu a igualdade dos sexos, antes mesmo das feministas queimarem seus sutiens em praça pública com o “le smoking”, que a chave estava na calça de smoking para mulheres numa época que o sexo feminino tinha como suas peças mestras as saias e os vestidos.

Ele entendeu que mais que um glamour ligado à grana, ele está ligado à atitude e por isso abriu uma loja na chamada Rive Gauche de Paris, identificada por ser a região dos intelectuais, militantes de esquerda e estudantes. E com isso impulsionar para uma posição de destaque o recente prêt-à-porter.

Ele amou a moda e sua época!
Enfim, ele esperou maio acabar para perceber que nada será como antes, amanhã!