Arquivo da categoria: lady gaga

MANDA JÁ PRA LADY GAGA

Antes de mais nada, quero dizer e afirmar com todas as letras que minha paixão por Samuel Cirnansck é real e se poder tivesse, mandava a coleção inteira pra Lady Gaga. Me diz se ela não iria gostar?

Com esse look Gaga deveria cantar Speechless, não precisa nem de banquinho.

SERÃO MESMO OS OMBROS DOS ANOS 80 EM 2000?

pg-7-gaga-rex_250501t
Lady Gaga, ícone dos anos 2000

2009, quando pensávamos que os anos 80 estavam finalmente acabando como releitura no terceiro milênio, vemos de repente, como uma fênix – a ave mitológica que ressurge de suas próprias cinzas –, a volta triunfal, pelo menos na moda, da chamada década dos yuppies e rappers. Concluindo, quando a gente achava que com a morte de Michael Jackson, ícone maior daquela década também seria a morte simbólica da releitura dos 80 e os anos 2000 iriam dar de ombros pra chamada década perdida, ledo engano…
Quem deu o pontapé inicial foi Marc Jacobs. O desfile do estilista para o inverno 2009 foi um dos mais aguardados da temporada e com certeza um dos highlights da semana de moda de Nova York. E o que ele nos mostrou em tom otimista? Cintura alta, brilhos, blazers e vestidos estruturados e, é claro, foco nos ombros.
00350m
Marc Jacobs inverno 2009

Depois dele muitas passarelas também levaram seus holofotes para os anos 80 a ponto do próprio Giorgio Armani declarar que sua coleção de inverno 2009 era assumidamente feita da “estética e dos shapes do anos 80”.
Donatella Versace também olhou para uma década que ela conheceu bem e suavizou o power dressing ao contrário da Maison Martin Margiela que prefiriu radicalizar o poder das ombreiras recebendo muitas críticas negativas das editoras internacionais.
Já no verão 2010 não teve pra ninguém, Balmain que voltou a ser foco na moda dos 2000 aposta nos ombreiras assim como na jaqueta militar tão amada pelo Michael Jackson e que virou uma espécie de uniforme do cantor. É importante colocar que no contexto pop, essa jaqueta tem origem icônica com os Beatles e o álbum “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band”, mas Michael conseguiu tomar pra si essa peça e carcterizar os 80’s.
00010m
a jaqueta de Michael na Balmain, verão 2010
00040m
ombreiras no verão piriguete 2010 da Balmain

Mas de todo esse revival, o que é importante notar é que a década de 80, nessas duas temporadas esse ano, trouxe a reafirmação dos ombros, com foco nas ombreiras como vimos em outra importante coleção de verão 2010, Givenchy.
00030m
Givenchy verão 2010

Apesar das ombreiras estarem coladas ao imaginário dos anos 80, elas começaram a ter evidência muito antes, na década de 30 quando Adrian colocou almofadinhas trilaterais costuradas na parte interna dos ombros de vestidos de dois mitos hollywoodianos, as atrizes Greta Garbo e Joan Crawford. Logo virou moda e estilistas como Rochas e Schiaparelli adotaram as ombreiras que entraram no guarda roupa tanto masculino como feminino da década de 30 e principalmente 40.
Se, nos 80, as ombreiras eram signo do poder das mulheres no mercado de trabalho, acredito que a simbologia das ombreiras hoje estão mais conectadas com a década de 40 – os anos da 2ª Guerra – elas são como que um prenúncio de resistência e força das pessoas para tempos difíceis anunciados, uma resposta de sobrevivência e não uma afirmação de poder.
sjcf_01_img0005
Joan Crawford e as ombreiras feitas por Adrian para o filme “Humoresque”, 1946

LADY GAGA E MADONNA

get
Tenho um verdadeiro interesse por Lady Gaga, mas muitos dizem que ela é a nova Madonna. Outros que ela é um ícone por si só. E ainda outros dizem que é apenas um sucesso passageiro.
Fico aqui com perguntas que gostaria de saber as opiniões:
Lady Gaga é afinal uma nova Madonna ou seria ela só Lady Gaga?
É possível fazer um paralelo de estilo e roupas com a Madge?
O que Lady Gaga tem que encanta tanto esses tempos de hoje?
Quais os símbolos de estilo que representam Lady Gaga?

Como estou numa correria de pensamento, prefiro refletir com m ais calma emcima e sobre o que vocês tem a me dizer, pois eu mesmo já estou ficando gagá, não consigo mais pensar muitas coisas ao mesmo tempo.