Arquivo da categoria: fause haten

SE JOGA


Confesso, com certa vergonha, que geralmente caio na gargalhada quando alguém cai no chão. Não, não acho minha atitude civilizada, nem elegante, mas é uma força maior do que eu. Claro que com os anos aprendi truques para disfarçar a crise de risos que tenho quando vejo alguém caindo. Viro o rosto, passo reto se não foi algo extremamente grave, porque se vou ajudar, começo a rir na cara e fica pior. Um desastre!
Mas na moda, acontece o contrário, é mais raro eu rir dos tombos das modelos na passarela. Fico até tenso se um salto é muito vertiginoso ou a passarela é ingrata como foi o caso do desfile da coleção masculina outono-inverno 2008 do Fause Haten.

O que percebi durante esses anos todos assistindo modelos caírem do salto é que a atitude pós queda é a mais importante. Saber se jogar no fato que levou um tombo na frente de todo mundo e levar isso com bastante senso de humor é a melhor saída. Sem falar que é importante se reerguer.
Nossa! Tirando o contexto moda, até parece texto de auto-ajuda… Ahahahahah!
naomi ca

Anúncios

SPFW – BELEZA COM VICTORIA CERIDONO

Tenho uma leve intuição que as novidades estão acontecendo primeiro na beleza (como os fashionistas chamam a área de cabelo e make up) para depois maquiar as roupas. Essa tese levo comigo faz já algum tempo e mais pra frente escreverei um texto mais complexo sobre isso, por enquanto são só observações. E por isso mesmo eu sempre converso com Victoria Ceridono que é super especializada na área.
Ela conta que a grande novidade do SPFW é o gloss no olho, nas pálpebras melhor localizando, e que nessa temporada apareceu muito, uma verdadeira tendência. “O gloss dá um brilho molhado que nenhuma sombra consegue”, segundo ela. E um exemplo é na beleza de Fause Haten.

Fause Haten verão 2009
Ela, uma verdadeira apaixonada pelo batom, um dos 10 itens dos clássicos da moda, se rendeu ao tom que o maquiador Robert Estevão conseguiu para a beleza de André Lima. “Nem na foto conseguiram captar o tom de pink com alaranjado que o Robert criou”, avisa.

André Lima verão 2009
Apesar de admitir que sua geração “é muito mais gloss e muito menos batom”, ela amou como isso se resolveu na Neon.

Neon verão 2009
Está dada as dicas!

SPFW – SALVE FAUSE

“Me senti enganado”, disse Alexandre Herchcovitch para a editora de moda Lilian Pacce no Estadão.
Ao declarar essa frase, o estilista resumiu o sentimento de todos em relação a I’M e toda a confusão causada pelo conglomerado picareta que não paga os seus funcionários nem honra suas dívidas.
Nos sentimos enganados, alguns mais, aqueles que legitimaram de maneira inocente a nova onda da moda brasileira, mas acredito que ninguém foi mais prejudicado que Fause Haten.
Hoje Fause prova o que de mais nacional ele possa ter pois parafraseando Euclides da Cunha: “Todo brasileiro é um forte”. e foi do fracasso de um projeto que o estilista reagiu montando e produzindo por sua conta a coleção de verão 2009.
Emocionante sua entrada final, emocionante saber que podemos dar a volta por cima. e Fause mereceu cada rosa que a platéia atirou nele.

SPFW: I’M BUT I’M (BORDADOS E LITERALIDADES)

Eu sei que a semana de moda deixa a gente meio mal humorado, mas também vamos com calma na ranhetice. Mas nada que um olho por olho pra tudo acabar bem.

bordados-de-viana.jpg 

Ricardo Oliveros escreveu no meu post sobre a influência portuguesa que o ponto cruz surgiu na China. Tudo bem que ele estava puxando a sardinha para o seu lado, mas nem Gilda Chataignier, a maior expert no assunto sobre tecidos, fios e bordados confirma essa aposta de Oliveros. Supõem-se que sim, técnicas de ponto cruz já tinham sido encontradas na pré-história. E o que hoje conhecemos como ponto cruz é a técnica do bordado inglês do século 16 e 17 e difundido pela Europa e principalmente em Portugal diante o famoso Tratado dos Panos e Vinhos.

flores-portuga.jpg 

Mas as flores do post não eram ponto cruz, pelo menos isso me ensinou Cris Gabrielli da Oficina de Estilo e vejam como essa parte decorativa – as flores – é referência direta da tradição portuguesa:  

bordado-portugues.jpgbordado-portugues.jpgbordado-portugues.jpgbordado-portugues.jpgbordado-portugues.jpg

Esse tipo de bordado e desenho de flores aparece nas coleções da Zoomp e do Fause! 

Sobre a questão mexicana, o problema é mais embaixo. Nem vou comentar sobre a troca de influências entre os povos ibero-americanos. A imagem do véu em Fause é uma leitura literal do traje típico de tijuana.

tehuana.jpg 

O que todo fashionista que se preze odeia uma leitura literal, mas pelo jeito dessa vez adoraram.

Não podemos esquecer que esse traje mexicano tem relação direta com a inquisição e com as vestes do luto português como o negro traje de Viana. (como bem Ana salientou): esse é um traje de noiva minhota. Mas o recado é o mesmo no sentido de perseguir literalidades.

veu-portuga.jpg

Aliás, cá entre nós, seria muito melhor se a referência fosse essa e não a literalidade mexicana. Achei bem português da parte do Fause!

fausae.jpg

SPFW: I’M PORTUGUESA

Ninguém falou da tendência portuguesa que apareceu nos desfiles do grupo I’M… Porque?

port-1.jpg

port1.jpg

port-2.jpg

Ai ai Maria, sai da lata e vem pra mesa!

(fotos Charles Naseh – site Chic)

SPFW: DIÁLOGOS IMPERTINENTES (PRA QUE DISCUTIR COM MADAMES)

Maria Cândida Coutinho de Andrade e Cleide Camargo tricotam em frente à torre do São Paulo Fashion Week no Pavilhão da Bienal:

– Queridinha, foi bafo o desfile na casa do Tufi!
– Por que, darling, o que aconteceu?
– Nada, só estava um bafo de calor infernal, me senti no Senegal, lugar, aliás, que nunca pus meus Manolos.
– Me falaram que tinha uma escadaria meio Chanel dos trópicos. Mas você sabe, eu não fui, não frequento edifícios neoclássicos.
– Quem você está querendo enganar. Não precisa se preocupar que eu não sou a turma da Casa do Saber não… E já te vi inúmeras vezes na Daslu!
– Bem (desconversando), em compensação no Fause e na Cori eu fui.
– É verdade que os estilistas da marca, a Rita e o Dudu, deram uma última chance para a Fernanda Motta?
– E olha que ela nem bateu cabelo, mas e no Herchcovitch, você vai dar pinta?
– Modernidade pra mim só o Guggenheim!
– Francamente meu amor, desce desse salto que ele não te pertence.
– É Jimmy Choo!

Nota: na verdade a casa do Tufi é estilo eclético, mas as colunas fazem a pobrezinha se confundir, já que tudo é neoclássico ultimamente em São Paulo.