Arquivo da categoria: estúdioXingu

A FESTA DA CHAVE

O Nucool me escreveu e perguntou: Angel, você pode fazer um resumo da Festa da Chave?! Tipo traje, bebida, drogas, trilha sonora, quem foi, tendências…
;0)

Acredito que uma imagem pode resumir essa questão:

Quer ver mais? Clique aqui

Anúncios

XINGU, FESTA DA CHAVE…: O MARAVILHOSO MUNDO DE VICTOR E ZECA!

 

Quem acompanha meu blog sabe do meu profundo desprezo pelas artes plásticas contemporâneas, mas na realidade é bom deixar bem claro que meu nojo é pelo que é eleito arte contemporânea, pois eu acredito numa arte nesse começo do milênio e ela não está em nenhuma galeria e em nenhum de seus artistas. No mundo novo rico do circuito das artes, onde todos buscam um significado de aristocracia, os grandes barões e duques estão muito distantes de toda a mercadologia disfarçada e mistificada pelos curadores, galeristas e marchands vendida como arte.

O único interesse hoje verdadeiro que pessoas que pensam o contemporâneo podem ter em relação à chamada artes plásticas institucionalizada é a fetichização mercadológica de conceitos vendidos como artísticos. Se os abduzidos por esse esquema soubessem que a poética que muitos de seus galeristas vendem e tanto falam está mais pra lero-lero… Bom, minhas idéias sobre esse mundo vazio estão no em textos que escrevi aqui, aqui e aqui.

Faço essa introdução para dizer que apesar disso, acredito sim numa arte contemporânea viva, eclética e que ela acontece fora daquilo que é oficialmente chamado arte. Para mim, o Xingu foi um grande experimento artístico. Quem freqüentou o clube sabe que se todo aquele arsenal fosse chamado de instalação, ainda assim estaríamos reduzindo o conceito do clube. E se fosse ainda, chamado de performance cada noite vivenciada naquele ambiente, ainda deveríamos erguer o português numa palavra mais justa.

Sinceramente vejo hoje Victor Corrêa e Zeca Gerace como dois dos artistas mais interessantes no Brasil, sem nunca expor em uma galeria e talbvez por isso a magnitude (não precisam de carimbo de artistas), Eles nos levam realmente a uma poética da forma (e do conteúdo) que é absolutamente a tradução dos nossos tempos.

Já fiz uma entrevista com eles aqui no blog, mas escrevo agora para falar de mais um passo desses artistas que realmente só nos surpreendem.

Eles esquematizaram um evento/festa/performance/instalação/espaço relacional chamado Boca.

Do que se trata? São 150 convidados que recebem uma caixa de fósforo toda costumizada (sorry, Marcelo Cidade) com uma plaquinha com um número dentro. Lá também tem um texto que pede para escrever para eles dando o número. Eles retornam dando o endereço daquilo que já foi chamado de Festa da Chave em outros tempos e deve ser algo novo agora. È a interatividade e a ação em conjunto visto de outro ãngulo.

Ao que parece uma festa a boca miúda vai ser um grito d eliberdade para a noite e a arte em São Paulo.

THEODORA LANÇA COLEÇÃO VERÃO 2008 E BLOGS A MANCHEIA

hshshs2.jpg

A estação mais quente do ano chega na Theodora e Rita Wainer lança a coleção para o verão 2007 nesta terça. dia 02 de outubro. Segundo nota da assessoria: “as peças traduzem o universo da estilista que aplica na maioria das peças seu incrível trabalho de ilustração”.E Rita acredita no provérbio” a união faz a força” , ela lança também os blogs oficiais de venda da Theodora, da Editora e Loja do Bispo, do badalado Estúdio Xingu – dos meu queridos designers Zeca Gerace e Victor Correa e do brechó mais amado pelos fashionistas e pelo povo da noite dessa cidade, o Juisy by Licquor.

Theodora-www.mundodetheodora.blogspot.com

Editora do Bispo- www.dobispo.zip.net

Estúdio Xingu-www.perolasdoxingu.blogspot.com

Juisy by Licquor- http://www.juisi.blogspot.com

Serviço:

Na terça-feira (dia 02/10), a partir das 18h30. Theodora

Rua Tinhorão, 72

Tel.: (11) 3825-5876

CHAMPAGNE, POR FAVOR – ENTREVISTA COM ESTÚDIOXINGU

guardachuvasecondfloor004.jpg 

Victor Corrêa e Zeca Gerace são os nomes por trás do incrível estúdioXingu. Para quem ainda não foi arrebatado pela onda estética de alguma de suas criações em diversas frentes, eu digo: champagne, por favor!  

Acessórios, design, moda, modo de vida, arte, cenografia, direção de arte: tudo cabe nessa tribo criativa.

Por uma dessas felicidades da vida, no meio da década de 90, fui vizinho da dupla na tumultuada e anárquica Prédia, famoso edifício na rua Augusta, perto do hoje hypado boteco Ibotirama e que já foi residência de Lino Villaventura, Suzy Capó, Jackson Araújo, Théo Carias, Marquinhos Marla, Dj Zozó, Aníbal da Loca, Ivi Brasil, Luiz Careca, Simone, Iara Crepaldi, Ricardo Oliveros, Robert e Fernando do Babilônia Feira Hype, entre outros que minha memória, é claro, irá esquecer.

Sempre de portas abertas, a casa de Victor e Zeca era um mundo a parte. Com uma ornamentação muito particular, de um barroquismo no melhor dos sentidos muito especial, eles construíram em um dos quartos um esplêndido salão chinês. Era algo intenso que nem sei se cabe a palavra decoração ou mesmo cenografia, pois aquilo pulsava vida, a vida de Zeca e Victor.

Eu lembro de comentar com eles que aquilo era como uma experiência tão forte como um penetrável de Hélio Oiticica, ou uma excelente instalação, mas sem a separação entre arte e vida.

E sempre foi assim, como as famosas festas da chave que eles entregavam a chave da casa deles para os convidados entrarem na casa e claro terem um choque estético. Todos eram convidados a participar, a tomar parte daquela ambientação, daquela aventura.

iqonsfestaspfwabsolut021.jpg festa da chave

Exatamente por essa questão participativa e includente que quando abriram o seu clube noturno, o Xingu, aquilo não poderia ser diferente e as pessoas que freqüentavam a cena se sentiram à vontade de fazer algo novo e logo o lugar se tornou o epicentro do electro em São Paulo. O ambiente do clube era exatamente um “work in progress’ do que a gente já conhecia da casa deles na Prédia mas não por isso menos delirante e sempre com novas informações.  

É claro que com um clube, as festas, o ambiente, tudo marcava um estilo muito próprio e isso que não poderia deixar de passar desapercebido para quem entende de imagem.

Logo foram surgindo trabalhos paralelos que despontaram uma outra nova frente, o estúdioXingu, uma espécie de continuação das ações que começaram lá na Prédia, mas o que sempre surpreende é a capacidade de inovar dos dois, 

xingu-melissa.jpg Melissa por estúdioXingu

Dus*****Infernus fez uma pequena entrevista com eles que responderam juntos as perguntas abaixo sobre o trabalho, estilo e quem sabe um possível novo Xingu:       

(1) Como surgiu o estúdioXingu?

O estúdio é nossa parceria desde 99, veio a se chamar estúdioXingu em 2002, quando os projetos começaram a tomar espaço fora do clube. 

(2) Com que áreas o Estúdio Xingu desenvolve seu trabalho?

O Estúdio desenvolve conteúdo criativo nas áreas de moda e marketing, em cenografias, eventos, desenvolvimento de produtos e direção de arte. 

(3) Quais são as referências para criar as peças do estúdioXingu?

O lúdico e o inusitado. 

(4) Quais os materiais que mais gostam de trabalhar?

Gostamos de trocar a função dos materiais, sejam eles quais forem.Temos trabalhado muito com a indústria chinesa.   

(5) Quais são as características de estilo dos trabalhos do estúdioXingu?

Humor, sex appeal, equilíbrio e exagero. 

(6) Queria que falassem um pouco sobre a fascinação de vocês por plumas e brilhos?

Gostamos de usar estes materiais, são ícones do luxo, enchem nossos olhos. Acostumados a vê-los sendo usados de maneira desequilibrada, sempre foi uma meta poder valorizá-los.  

(7) A cena noturna e o fato de serem donos de um clube noturno histórico foram importantes para a criação do Estúdio? O que vocês trazem dessa cena para a criação de vocês?

Sim, no clube [Xingu] colocamos de pé tudo que acreditávamos, o nosso conceito de noite, diversão e arte, criávamos um ambiente lúdico e único. A cada noite, o espaço ganhava novas peças, novos mobiliários, nova luz, um verdadeiro “work in progress”.  Lá nossa estética foi consumida em meio à diversão.Ele foi uma vitrine do nosso “mundo”, a materialização de uma fantasia. Toda nossa atual criação está de alguma forma ligada ao nosso “paraíso”. Em trabalhos  para outras marcas nosso papel é visitar outros mundos, viver um pouco neles, mas nem por isso esquecemos o nosso.  

(8) Quais são os seus trabalhos mais recentes?

Fizemos a festa de encerramento do SPFW junto com a [Elllus] Second Floor e a revista Mag,A ambientação das lojas Cavalera (pelo país). Ações de marketing de venda (inusitadas) para os laboratórios Pfizer (Viagra), Perdigão.Também cenografias para campanha veiculadas em revistas como: da cervejaria Skol , Fininvest, Chiclete Adam’s, Hopi Hare, Iguatemi, Revista Contigo (nova fase), um casamento com perfume japonês, e estamos agora na finalização de um evento de lançamento da Adidas Original’s no Brasil.  

(9) Com quem mantêm parcerias criativas? E como elas são feitas?

Muitas das parcerias que fizemos até hoje, participaram do nosso “working progress”.Com o clube [Xingu] tivemos acesso a pessoas de vários universos criativos, e até hoje muita gente (fascinada pelo que presenciou na época) nos procura, para assuntos ligados à moda, noite, arte, e podemos dizer que as agências de publicidade são nossos maiores parceiros.   No caso da marca “Sommer”, somos apaixonados pelo trabalho da Thaís [Losso] e sempre houve uma sinergia entre nós. É muito bom trocar desejos criativos. Outra marca que nos dá muito prazer é a Theodora, o mundo da Rita [Wainer] é fascinante. O trabalho geralmente rola nos meses que antecedem as temporadas de moda, nos inteiramos do que está sendo desenvolvido pelas marcas, fazemos pesquisas de materiais, trabalhamos geralmente com referências musicais, cinematográficas, literárias, costumes,etc. Em seguida montamos as primeiras peças, que aprovadas dão start à coleção. 

(10) Vocês estão desenvolvendo algum projeto?

O XUÍ, o toy do Xingu, um site de compras de objetos e coleções criadas por nós. E Estamos nos sentindo prontos para uma nova empreitada noturna.   

tenis-xingu-1.jpg 

Esse é o tênis verde e rosa que eles criaram pra Nike, se quiser deixar sua opinião sobre , clique aqui

Blogs do estúdioXingu:

http://estudioxingu.blogspot.com/

http://perolasdoxingu.blogspot.com/

http://champagneporfavor.blogspot.com/  

zecaiqons017.jpg 

serviço:

estúdioXingu

r. Goitacás nº58/ ap.31
cep:01232-030
Pacaembu
São Paulo – SP
tel: 55-11-3663 5395
cel: 55-11-9268 0272