A IMAGEM DA TEMPORADA

Para aqueles fashionistas que acreditam que é apenas lero-lero de uma parte da imprensa, deu no New York Magazine e a legenda dizia: Modelos trocam de roupa no backstage do São Paulo Fashion Week.

Abaixo reproduzo a matéria de Fernanda Mena para a Folha de São Paulo continuando o assunto da hipermagreza nas passarelas.

Evento tem poucas respostas para apelo

FERNANDA MENA
DA REPORTAGEM LOCAL

Dois dias após enviar uma carta alertando os principais atores da moda internacional sobre a hipermagreza atual das modelos, a organização da São Paulo Fashion Week obteve, por enquanto, poucas respostas de apoio.
O evento recebeu e-mails da revista “Vogue” francesa e do fotógrafo Nino Muñoz, um dos preferidos de Gisele Bündchen. A editora da “Vogue” americana, Anna Wintour, não escreveu diretamente à SPFW: encaminhou o alerta de Paulo Borges ao Conselho de Designers de Moda da América, que convidou o empresário para uma conferência sobre a saúde das modelos, em Nova York.
A carta da SPFW propõe um esforço conjunto para minimizar a onda de hipermagreza “e seus efeitos na indústria e na sociedade como um todo”.
Para Borges, diretor da SPFW, é preciso apoio internacional, já que as modelos passam a maior parte do ano trabalhando nos EUA e na Europa e importam de lá o padrão radical de magreza.
A “Vogue” americana seria a publicação mais influente para esse processo. É a única revista de moda de renome internacional que se recusa a publicar imagens de hipermagras. “Wintour já conseguiu acabar com a onda “heroin chic”, das modelos com cara de “junkie” nos anos 90″, diz Borges.
Há quem duvide do poder que vem de fora e ache que as mudanças devem começar no Brasil. “Paris não vai ajudar em nada. O Brasil tem força para resolver isso por aqui”, afirma o estilista Marcelo Sommer.
A crítica de moda Gloria Kalil discorda. “Esse tipo de ação precisa ser internacional. Nunca foi exigência brasileira ter varapau na passarela”, diz. “Para dar certo, tem que perseverar. Criar campanha de uma vez só é fogo de artifício.”
A SPFW criou em 2007 uma campanha de esclarecimento para modelos sobre problemas alimentares. Na mesma época, passou a exigir atestado de saúde das garotas. Por que, então, agora desfilam modelos com “magreza severa”, na classificação da Organização Mundial da Saúde (OMS)? “Todas continuam apresentando atestado. Se não estão bem, temos de questionar o sistema de saúde do Brasil”, justifica Borges.
“O mercado todo tem de se reeducar. Se a magreza não entrar num desfile, mas continuar na publicidade e nos editoriais, não adianta nada”, diz André Hidalgo, diretor do evento Casa de Criadores.

Desconforto

Na SPFW, o assunto da magreza radical gerou desconforto. Equipes de TV dizem ter sido proibidas de entrar em alguns camarins para fazerem reportagens sobre o assunto. A assessoria de imprensa da SPFW nega que tenha havido restrições.
A organização do SPFW reteve a credencial de um fotógrafo da agência de notícias France Presse até que ele deletasse fotos feitas nos camarins dos desfiles, alegando que continham imagens de seminudez. A Folha viu as fotos e elas revelam, sobretudo, flagrantes da extrema magreza das modelos.
Borges destaca a responsabilidade da mídia. “A imprensa massacrou a modelo russa Karolina Kurkova em 2008, chamando-a de gorda. Fernanda Tavares até hoje sofre as consequências de uma reportagem de 2002 que falou de sua celulite. Foi cruel.”
No empurra-empurra do mundo fashion, quando assunto é magreza, a culpa parece ser sempre do vizinho. Entre o padrão esquálido das passarelas e a epidemia de obesidade fora dela, mais fácil dizer que os culpados somos todos nós.

17 Respostas para “A IMAGEM DA TEMPORADA

  1. muita aflição de tanto osso.

    ah! só para deixar registrado: adorei seu post sobre São Paulo!!!

  2. oi!! eu tbm quero ser magra!!

  3. Essa foto mais parece ter sido tirada em Auschwitz.

    A menina do meio- abaixada só de calcinha- deve estar muito doente. Dá agonia olhar para isso. Uma pessoa assim não pode estar bem.

  4. felizmente só assisti o desfile do mário queiroz e os modelos eram bem saudáveis! hehehehe… vi o backstage do fause haten e as roupas disfarçavam a magreza, então nem percebi! mas essas fotos chocam um pouco! o padrão de beleza tem que ficar com mais cara de saúde, porque de que adianta estar bem vestida? se a moda reflete o que vivemos agora, porque não viver uma geração que se preocupa com qualidade de vida?

  5. acho de uma hipocrisia sem fim, ver fashionistas ‘militando’ contra a magreza excessiva. o próprio borges falou tudo: “a imprensa massacrou a modelo russa karolina kurkova em 2008, chamando-a de gorda”. e por impressa, leia-se também o site da senhora glória kalil, que posa de bacanuda saudável, mas incentiva os jornalistas a escreverem sobre a gordura alheia. lamentável.

  6. Aii que choca essa imagem…de certa forma!!

    Oh gente k tal modelos saudáveis hein?? poh beleza não é magreza…..

    amei o blog! ❤

    beijo,
    Ivânia**

  7. Pingback: uberVU - social comments

  8. Pingback: Tweets that mention A IMAGEM DA TEMPORADA « dus*****infernus -- Topsy.com

  9. Essa fotografia é emblemática. O link para a matéria da NY Magazine é esse:
    http://nymag.com/daily/fashion/2010/01/sao_paulo_fashion_week_organiz.html

  10. Hoje se você usa mais que 38, é gorda. 34 é o tamanho do sucesso. E mulheres como a tal da Melancia bate recorde na Playboy que tem em sua maioria leitores homens. Quem decide, então, o padrão da beleza? Mas eu prefiro viver em um mundo lotado de panicats que são saudáveis e comem do que viver em uma ditadura de um padrão a là Auschwitz, como Alice sabiamente comentou aqui…

  11. O que é isso? É saco de osso ou caveira? Português claro.😀

  12. korror, essa imagem só mostram o que todos já sabem, mas que alguns veicúlos da mídia ainda se encarregam em esconder :S

  13. a próxima parada era a câmera de gás. cruuuzes

  14. vao barrar a vitor! vao barrar a vitor

    medao

    parabens querido, ninguem tem que morrer para se preocuparam com isso
    as chamam de cabides mas esquecem que é um humano

  15. Não é ditadura da moda, mas sim Totalitarismo das Invejosas. Obesos e magrelos, já para a câmara de gás! Na Terra, só os ‘normais’ podem viver e procriar, em nome de Deus. Anauê!

  16. Pingback: A dieta das passarelas – parte 2 « Pretta

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s