COLUNA DA REVISTA DA FOLHA DE SÃO PAULO 20/09/2009

0,,15883309-EXH,00
Claudia Leitte causou ainda grávida ao declarar na televisão, no ano passado, que adorava os gays mas que preferia que seu “filho fosse macho”. Tirando a desafinação conceitual de que um gay não pode ser macho, no sentido de possuir masculinidade, o que a cantora verdadeiramente expôs foi uma ideia que percorre toda a sociedade.
Sim, ela foi condenada por muitos homossexuais que agem dentro dos dogmas do politicamente correto e nos obrigam a viver em eterno cinismo, escamoteando nossos verdadeiros pensamentos. Mas vendo a baiana em uma outra longa entrevista percebi que suas declarações trabalham sempre com chavões – ela pensa e fala para agradar a maioria da população, nada é polêmico em sua figura. Então essa polêmica apesar de passada, nos revela muito sobre o presente dos gays no Brasil.
Ao se utilizar do senso comum para dizer que preferia que sua cria não fosse viado, a cantora sem saber mostra o pavor de ter um filho em um país que, segundo o Relatório Anual do Grupo Gay da Bahia (GGB), 190 homossexuais foram assassinados no Brasil em 2008, um a cada dois dias, sendo considerado por alguns especialistas como o país mais homofóbico do mundo. Ou o horror de ver seu filho perseguido e torturado  por traficantes e milícias dos morros cariocas pelo simples fato de ser gay ou lésbica, como noticiou o jornal O Dia (05/09/09).
Ou ainda a reza de algumas igrejas que pregam o ódio aos homossexuais que a única coisa que os interessam agora é barrar a lei nacional contra a homofobia e se esquecem foram fundadas pela lei do amor ao próximo.
Claudia Leitte, no Brasil é preciso ser muito macho pra ter um filho gay.

15 Respostas para “COLUNA DA REVISTA DA FOLHA DE SÃO PAULO 20/09/2009

  1. Demais!
    Demais o texto!
    Demais a alienação da cantora!
    Demais o preconceito nesse país!
    Demais uma sociedade ignorante como a nossa!

  2. Muito bom!!! Essa coisa da parada gay ser a maior ou uma das maiores do mundo, não quer dizer que os gays não sofram com a homofobia ou com pré-conceitos como o da igreja que pra mim sempre foi muito contraditoria. E a Claudia Leite nem vou comentar pois ela não representa nada, além de ser copia de uma outra cantora baiana.

  3. Lembra da Isabeli fontana na Hebe? disse a mesma coisa, não tinha preconceito mas queria Que o filho fosse heterossexual.

    Algum dos convidados disse que a posição da modelo era um tanto homofóbica, vinda logo dela que tem contato diário com gays. A Hebe terminou o assunto dizendo que o filho era dela então ela tinha o direito de desejar o que quisesse pra ele.

    Quando é que um ser humano pertence a alguém?

    Falta cultura pra essa gente… Azar dos filhos.

  4. BRAZIL FASHION CRUISE
    Moda, música e arte navegando pelos mares do Brasil e indo visitar a Claudia Leite

    Angel, imagine vc, eu, o Ivi ( tudo na faixa!!!, claro!!!) num luxuoso navio, cercado pelas pessoas lindas da moda, que vc tanto ama!!! Uma semana com o mais puro fashion seguindo a rota pasadisíaca dos trópicos! Nem vou citar os nomes das megastars! Vc não acha que é minha cara???! !!!! já tô sem ar… SOCORRO!!!!!!!
    To te esperando no deck com um daikiri!!
    ;0)

  5. As vezes as pessoas por serem incautas, acabam por cometer erros primários em suas declarações. Não de hoje que celebridades com suas frases de efeito causam grandes polêmicas. Mas uma coisa é certa: um país como o nosso repleto de intolerância e atitudes crassas, não poderia ser diferente presenciar rompantes de homofobia velada. Isso é Brasil!!!

  6. ESSA NOVA TEMPORADA NA ARVORE VAI SER BABADO!!!! VAMOS RESOLVER MIL BAFOS!!! kkkkkkkkkkkkkkkkk
    ;0)

  7. minha mãe me ensinou que não podemos preferir nada para os nossos filhos.
    aliás, adianta preferir isso ou aquilo?

  8. adorei ter visitado o site
    e muito interessante

  9. Claudia Leite é aquela cantora de axé?

  10. para ser gay no Brasil precisa ser muito macho.

    fato.

  11. Adorei seu post. Lembrei de um filme que eu vi, “Tudo em Família”, é uma comédia, mas tem uma cena em que a personagem interpretada pela Sarah Jessica Parker questiona uma mãe que diz que queria que todos os seus filhos fossem gays.
    Concordo com tudo que disse e concordo com o que dizem: “Pra ser gay, é preciso ser muito macho”.
    Consumidos pelo preconceito como somos, e apegados ao politicamente-correto pra mascarar nosso lado nojento, erguemos o nariz pra dizer: “não sou preconceituoso, tenho muitos amigos gays”, mas esquecemo-nos de dizer o que ela disse (porque ela não se preocupou mesmo com os entraves da vida de um filho gay): “Adoro gays, mas comigo não, violão”.

  12. isso ae…quem ela pensa que é??

  13. Num sociedade em que não valoriza, os sentimento, pode matar ou extingui-los em vários corações (Bavouir). De fato na sociedade moderna em que somos impregnados e alienados pelo capital, seria uma excelente maneira de negar o direito de expressão, excluindo-os do meio social, pois a indústria farmacêutica hostentadora da economia global não consegue criar a pílula mágica para a “anormalidade”. assim a homossexualidade deixa de ter seu valor em quanto expressão cultural, presente desde os tempos patriarcal.
    Para isso e necessário uma identidade própria, a fim de que as entidades políticas vejam que somos muitos e que também compomos um parcele da sociedade.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s