PARIS É UMA MODA

Encontrei com alguns fashionistas como a Alexandra Farah toda esbaforida pra entrar no desfile da Givenchy – esse eu não consegui. O povo do site do SPFW super fofos, o André do Val, a Lilian Pacce, o Giovanni Frasson que mega querido me deu umas dicas importantes logo no primeiro desfile que fui assistir. Mas a pessoa mais excelente de estar em Paris foi Alcino Leite Neto. Como morou durante 2 anos e meio, digamos que ele conhece bem a cidade. Fizempos um tour pela Paris antiga do Grand Palais, com direito à antiga Biblioteca Nacional onde Marx e Benjamim ficavam horas estudando. Benjamim tem um ensaio importante sobre as passagens, as galerias parisienses que eram sinal de glamour com suas boutiques e hoje em plena decadência, passamos pro várias,e tnre elas a antiquíssima Viviene. Além de irmos juntos na exposição do Mantegna, puro luxo do renascimento.
Com o Sylvain, – eeeee Maria consegui encontrar com ele sim – fiz a Nuits Blanches e conheci sua irmã que é uma querida. Vimos instalações interessantes, mas convenhamos que na cenografia de Paris tudo fica interessante.

Anúncios

4 Respostas para “PARIS É UMA MODA

  1. quanto privilégio, vitor! te imploro por um café na sua volta! =)

  2. ANGEL,
    Já que vc está aí, me diga quem matou Walter Benjamin?!!!

    http://br.youtube.com/watch?v=NRXRNUkYLTk

    Há um quadro de Klee chamado Angelus Novus. Representa um anjo que parece a ponto de afastar-se para longe daquilo a que está olhando fixamente. Seus olhos estão arregalados, sua boca aberta, suas asas estendidas. O anjo da história deve ter este aspecto. Seu rosto está voltado para o passado. Onde diante de nós aparece um encadeamento de acontecimentos, ele vê uma catástrofe única, que vai empilhando incessantemente escombros sobre escombros, lançando-os diante de seus pés. O anjo bem que gostaria de se deter, despertar os mortos e recompor o que foi feito em pedaços. Mas uma tempestade sopra do Paraíso e se prende em suas asas com tal força, que o anjo já não as pode fechar. A tempestade irresistivelmente o impele ao futuro, para o qual ele dá as costas, enquanto o monte de escombros cresce até o céu diante dele. O que chamamos de Progresso é esta tempestade.

    W. B. Teses sobre o conceito da história, 1940

  3. e eu adorei nossa caminhada de horas à travers Paris em busca de um transporte para casa…Bjo e até a volta.

  4. Oi Vitor, obrigada, fofo é você ! Adorei passear pelas ruas de Paris com você e o Sylvain, através seus olhos a cidade fica mais linda, fiz as pazes com a cidade ! Beijos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s