VENEZA E AS CÓPIAS


ocidente-oriente

Do mesmo jeito que todo muçulmano deve ir um dia na vida para Meca, acho que os ocidentais deveriam ir pelo menos uma vez a Veneza. Essa foi minha segunda vez e acho que adoraria voltar mais.

Veneza, a Meca do Ocidente
Além de toda a beleza cenográfica, além de todos os tons de terrosos que tanto nos encantam quando vemos um quadro de Tiziano, além de todas as ruas e vielas e canais, existe uma cidade. Uma incrível cidade que não à toa é sede de uma importante Bienal de Arquitetura.
A cidade de certo modo está construída, a eterna Sereníssima República ninguém mexe – pelo menos nas fachadas -, até por isso, como observou Eduardo Rosa, meu grande amigo e arquiteto, as construções mais contemporâneas sejam túmulos e capelas no famoso cemitério da cidade. Mas o diálogo com o espaço faz de Veneza uma grande esfinge arquitetônica, pronta pra te devorar ou devorar-se em meio a tantos turistas.
Uma das instalações – se assim posso chamar – mais interessantes da Bienal de Arquitetura é um espaço que foram colocados uns bancos entre duas telas que representavam uma gôndola. Elas projetavam ora imagens de Veneza ora imagens de lugares como Las Vegas, Tóquio, etc que construiram uma cenografia-cópia da cidade de Venetto.
De alguma forma Veneza foi uma matriz desejada e copiada e entendi melhor a questão da cópia além da visão extremamente negativa que tinha sobre o ato de copiar.
Primeiro pra mim copiar era se apropriar de uma idéia original, tentar roubá-la, massificá-la, mas penso hoje que além disso ela é também difundir essa primeira idéia.
Depois, cópia pra mim representava e ainda representa um senso de inferioridade tremendo. A cópia escancara o complexo de inferioridade latente de quem copia. Vendo as réplicas de Veneza, penso que sim, existe inferioridade, mas também existe a sinceridade de quem copia, algo como a sussurrar pra nós: “Eu gostaria de ser assim e pelo menos eu tentei mesmo tendo fracassado”. Até porque Veneza não é apensa essa cenografia que imprime tão forte nos cartões-postais, existe a cidade dentro dela.
De muitas formas, existe muitas verdades originais em uma cópia!

apesar dos clichês, Veneza é uma cidade…

… com as contradições – espaciais e simbólicas- típicas de uma cidade

ORIENTE-SE RAPAZ!

12 Respostas para “VENEZA E AS CÓPIAS

  1. Angel, isso tá glamour demais, só falta me dizer que abandonou todos no bar a noite, para FAZER um gondolero num canto escuro da cidade, sem perguntar nome ou origem!!!
    Quando voltar a SP, não irá se adaptar maisa feiura da cidade. Eu deixei de ir para Europa, depois da falência, e só viajo para África e América do Sul. Quando volto a SP, acho uma das melhores cidades do mundo.

    A última vez que te encontrei em Veneza, foi na festa dos Porter, simplesmente inesquecível, vc usando um parangolé e correndo alucinado pelas vielas acompanhado de Cole e a luz da lua refletida nos canais…
    Esse Rayban é verdadeiro ou cópia?

  2. Angel, isso tá glamour demais, só falta me dizer que FEIZ um gondolero!!!
    Quando voltar a SP, não irá se adaptar mais. Eu deixei de ir para Europa, depois da falência, e só viajo para África e América do Sul. Quando volto a SP, acho uma das melhores cidades do mundo.

    A última vez que te encontrei em Veneza, foi na festa dos Porter, simplesmente inesquecível, vc usando um parangolé e correndo alucinado pelas vielas acompanhado de Cole e a luz da lua refletida nos canais…

  3. Veneza e realmente uma belissima cidade, que faz a imaginacao viajar nas aventuras medievais e pelas festas de mascaras. Espero que ela suporte o atual humor do planeta e nao seja maltratada pelas aguas.

  4. …simplesmente acho Veneza a cidade mais encantadora , especial, inspiradora, instigante, sexy, linda e apaixonante do planeta…

  5. Eu amo Veneza, não existe cidade mais linda no mundo! É chocante!

  6. Eu adorei sua reflexão sobre o urbanismo, na verdade. Mesmo com a cara mais maoista do mundo, esta história da cópia revelar uma outra verdade, é bem interessante. Na moda então, nem se fala…(rs). E agora, babe, quero ver seus comentários diretamente de Paris!!!!!!!!!!!!!!

  7. vitor ângelo, genial como sempre. se a gente aplica essa sua pensata sobre a cópia pra quaisquer outras áreas (da vida!), dá certo sempre – e mesmo que não na totalidade, um pouquinho disso daí sempre tem. sinto saudade de você meu amigo mas to aqui na fila do gargarejo pra te ver em paris – vc viu que alexandra fez entrevista na porta dos desfiles em que não entrou? achei geniaaaaal! =)

  8. Pingback: Louis Vuitton comemora 10 anos de City Guides « FORA DE MODA

  9. Pingback: AINDA SOBRE AS CÓPIAS NO PÉRGAMO « dus*****infernus

  10. Pingback: PENSE MODA :: Hora de (re)pensar os achismos « FORA DE MODA

  11. Pingback: RUFOS, CÓPIAS, COLONIALISMO E PREPOTÊNCIA « dus*****infernus

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s