CANIBALISMO OU ANTROPOFAGIA?

A Folha de São Paulo desse último domingo fez um especial sobre o que eles chamaram de totalitarismo fashion – nome provacativo, mas com uma certa incompletude pois essa é apenas uma das facetas da moda e responde a um modo de encarar seu sistema, mas não a sua totalidade. Mas com certeza vale a leitura!
Alcino Leite fez uma entrevista interessantíssima com o filósofo Lars Svendsen, autor de “Fashion – A Philosophy”.
Revisionista de uma posição mais afirmativa do meio intelectual em relação à moda, tendência concretizada nos anos 1980 por Gilles Lipovetsky e seu clássico “O Império do Efêmero”, o que mais impressiona no autor nórdico é sua firmeza crítica como a afirmação abaixo.

FOLHA – Para o sr., a criação em moda responde sobretudo a solicitações internas, sendo a própria moda incapaz de um diálogo com “a evolução política da sociedade”. Por que a moda é tão impenetrável aos acontecimentos sociopolíticos?
SVENDSEN – Há várias razões para que isso aconteça. Uma questão evidente na moda, e em muitas outras disciplinas estéticas, é que a maior parte da moda é baseada em modas anteriores, assim como a maior parte da arte é feita a partir de artes anteriores.
Se você quiser explicar uma determinada moda, é mais provável que encontre uma resposta plausível analisando modas passadas, em vez de tentar enxergar a moda como reflexo da realidade política ou social.
Além disso, a moda possui uma capacidade incrível de apagar o significado simbólico de tudo o que incorpora.
Foi por isso que Che Guevara pôde tornar-se um item altamente vendável em um sistema de moda capitalista. Nas camisetas com sua imagem, não resta praticamente nada da política revolucionária de Che (nem de suas mãos ensangüentadas, já que ele torturou e executou prisioneiros políticos).
Quando se vende moda, vende-se um valor simbólico; ao mesmo tempo, a moda tende a apagar esse valor simbólico muito rapidamente, de maneira que precisa constantemente buscar novos valores simbólicos que possa “canibalizar”.
E o underground é um dos maiores fornecedores de tais valores simbólicos.

Não consigo enxergar só até esse ponto e nem acredito que o valor simbólico é totalmente perdido quando transposto para o signo da moda, como analisei na conduta e no trânsito do lenço palestino. Sim, seu valor simbólico é modificado – como por exemplo uma criança brincar com uma coroa de rei falsa – mas ainda carrega o valor passado em suas tramas – pois ainda existe no caso da coroa e da camiseta do Che o significado de realeza. Entendo que a moda age como algo antropofágico, devora-se o antigo valor, mas renova-se o valor simbólico, o incorpora de uma outra forma – como os canibais acreditavam ao devorar um guerreiro inimigo que estavam possuindo seus dons – e ele não fica apenas como peça folclórica ou de um passado distante. Ele ganha sentido em nosso tempo, uma camiseta do Che Guevara não tem o mesmo valor simbólico do que aquela usada pelos estudantes da década de 1970, mas ela ainda tem valor vivo, se renovou e não é uma peça do passado.
A moda está muito mais pra Oswald de Andrade do que pra Hannibal Lecter.

Anúncios

5 Respostas para “CANIBALISMO OU ANTROPOFAGIA?

  1. Angel, eu li o artigo do Lars e compartilho com ele o pensamento “Quando se vende moda, vende-se um valor simbólico; ao mesmo tempo, a moda tende a apagar esse valor simbólico muito rapidamente, de maneira que precisa constantemente buscar novos valores simbólicos que possa “canibalizar.”

    Quem visitar o último episódio da NUCOOLEXPERIENCE no ORKUT, encontrá a seguinte mensagem, NUCOOL, ATIVISTA DE BUTIQUE, PORQUE NO FINAL TUDO VIRA ESTAMPA DE CAMISETA.
    Essa era uma idéia que já me perseguia há uns 3 anos e meu contato com vc deixou ela mais forte. A séria final e meu símbolo no Orkut foi todo baseada nesse pensamento e ainda não conhecia Lars! Claro que NUCOOL está a frente do meu corpo físico, as vezes nem consigo acompanhá-lo… mas ele incorpora!
    ;0)

  2. Nossa, é isso mesmo. Eu fiquei bem incomodado com essa posição dele de falar que o valor se perde por completo. Mas também não conseguia entender bem o que estava faltando nisso!

    Mas agora que li seu post percebi que é isso mesmo. O sentido não se perde, ele apenas sofre algumas modificações e é renovado. Porque, querendo ou não, que compra uma camiseta do Che é pq de alguma forma se identifica ou se sente atraído por aquele valor simbólico. Mesmo que não seja o valor original e mesmo que esse consumidor não conheça o valor original, ainda existe algum valor simbólico ali, não?

  3. ola victor angelo. sou andreza, sou leitora. uma frescura de ar essa sua reflexão ai. você daqui me parece gente pensante da maior qualidade, mesmo que necessáriamente não concorde com tudo que você diz.
    maravilha!

  4. Eu concordo com você, mas acho que o sentido não se perde totalmente dependendo da pessoa que usa. Já ouvi muita gente dizendo que quer aquele “lencão xadrez porque todo mundo da minha faculdade está usando”, nem sabe de onde vem, o que significa, etc.

    e digo mais: vou te chamar pra orientador hein? heuheuaheuhae será que a santa marcelina aceita? HAHAHAH

  5. CONCORDO COM A MARCIA! as pessoas usam determinadas roupas pelo poder da indústria da moda em criar uma necessidade. Lembrei de um fato dos anos 80, quando todo mundo passou a usar preto. Quem não viveu aquela época, não sabe que qdo um jovem entrava num ônibus vestindo preto, era um choque. Quem sabia o que estava acontecendo no mundo em termos de comportamento, música, política e queria romper com o flower power dos anos anteriores, usava preto. De um dia para o outro todos passaram a usar preto porque era IN, dava a falta sensação que vc era ANTENADO… muitas pessoas com as quais vc conversava, não sabiam de nada sobre o existencialismo, o que estava ocorrendo na época e o porque do preto. Se travestiam de antenadas… e é assim até hoje, é o poder da moda!
    As pessoas mais interresantes, inteligentes, que me surpreenderam e estão revolucionando o mundo atualmente, não tem o foco na vestimenta! Talvez seja por isso ANGEL, que vc não larga a calça de sarja e a camisetinha!
    Thats all folks!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s