SPFW: DESCONSTRUINDO MARIA BONITA

Todos sabemos do poder da Maria Cândida Sarmento na moda do país e seu trabalho de contemporanizar a vestimenta brasileira na década de 80. A marca Maria Bonita faz parte desse signo.

Rainha morta, rainha posta. Danielle Jensen teve a cruel tarefa de substituir Cândida na marca após seu falecimento. De maneira calma e tranqüila, ela fez a transição com a serenidade que a estilista nordestina pregava em sua atitude e suas criações. E hoje pode se soltar cada vez mais em suas preocupações estéticas que são bem suas apesar do diálogo e o respeito à Maria Cãndida.

Para o inverno 2008 foi alardeada a questão da busca das inúmeras possibilidades do cardigã, ponto forte da coleção, mas uma peça estranha me fez parar pra pensar: o aparecimento de um trenchcoat ou semi-trentchcoat em um dos looks.

Todos sabemos que essa peça assim como as transparências fazem parte da linguagem de Dani Jenssen, mas a peça chave para o entendimento desse meu estranhamento está em outra questão cara à estilista: a questão do duplo e dos opostos.

O cardigã é uma peça do século 19 usado pelos militares ingleses durante a Guerra da Criméia assim como o trenchcoat que, como já diz o nome é um casaco de trincheira, também é uma peça do século 19 com finalidade militar. E por fim tem o macacão, que era usado por trabalhadores braçais e depois foi o uniforme oficial nas fábricas de munição. Enfim: militarismo e masculino.

A conquista dessas peças pelas mulheres no século 20 trouxe grandes transformações para como as olhamos hoje. O duplo.

O cardigã, muito associado ás matronas inglesas, a falta de sensualidade do trechcoat e a informalidade do macacão ganham adjetivos contrários na coleção de Maria Bonita. O cardigã fica extremamente jovial, o trechcoat mais acinturado ganha uma feminilidade sensual e o macacão glamouriza-se. O oposto.

Mais do que desconstruir essas peças (o trabalho ótico com o argyle – uma trama de tricô – é fascinante), Jenssen edifica outras possibilidades para o cardigã, o trenchcoat e o macacão. E também constrói novos argumentos para essa questão do duplo e do oposto que ela carrega como uma das peças-chaves de seu trabalho de criação.

cardiga.jpg

despojamento e jovialidade no cardigã

trench.jpg

a sensualidade pouco óbvia do trenchcoat

macacao.jpg

a construção minimalista do macacão

(fotos Charles Naseh, do site Chic)

Anúncios

4 Respostas para “SPFW: DESCONSTRUINDO MARIA BONITA

  1. Esse vai pro meu arquivo de críticas memoráveis. Adorei!

  2. Pingback: SPFW - DANI JENSEN A ESTILISTA MAIS TÍMIDA DO BRASIL « dus*****infernus

  3. Pingback: SPFW - MARIA BONITA: TE REENCONTRAREI-ME « dus*****infernus

  4. Pingback: ::A MARIA BONITA É FLICTS:: « Saia Lapis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s