CASA DOS CRIADORES: POR UM JORNALISMO LIVRE E NEGLIGENTE

 pfilm715700915199.jpgpfilm715700915199.jpg 

Uma das coisas que mais amo no filme “Prêt-à-porter” do Robert Altman é que dois jornalistas vividos por Julia Roberts e Tim Robbins são escalados para ver os desfiles em Paris e acabam cobrindo o evento pela televisão pois preferem viver um tórrido romance no quarto do hotel. Penso também na cobertura que muitos blogs fazem da cobertura internacional através das fotos do style.com.

No dois casos, um purista pode achar que isso é algo absurdo e que o trabalho sai diminuto por não estar lá, in loco, no calor da hora e em parte eles têm muita razão. Mas também o outsider pode ter um olhar diferenciado e menos comprometido com as relações que fizeram os jornalistas que conseguiram entrar na sala de desfile. Já li coisas incríveis de gente que “assistiu” o desfile pelas fotos. No fundo tudo se trata de uma questão de ponto de vista.

Posto isso, vou assumir logo daqui que eu cheguei atrasado no último dia de desfiles da Casa de Criadores e fiz a Oficina de Estilo, isso é, assisti os 3 últimos do backstage.

Mas fiz melhor, ou pior, depende do ponto de vista. Perguntei para os meus colegas de moda o que eles acharam. Eis as frases:

“Foi o pior dos dias”.

“Existia uma vontade kitsch no ar”

“Menos idéia mais alfaiataria”

“Eu adorei um marca, as outras foram só risos”

“Hoje estava mais para criaturas do que pra criadores”

“Vai de retrô, satanás”

“Elas estão começando a andar com suas próprias pernas”

“Que mulher é essa!”

“Talvez eu tenha visto o primeiro trench coat brasileiro”

“O Ivan Aguilar foi o melhor”

“Acho que ele pecou no vinil, no sintético…Aquilo era feio”

“Marcelu Ferraz me surpreendeu positivamente”

“Ele ainda está no limite entre o figurinista e o estilista”

“Era uma confusão de Oriente. Oriente-se, rapaz!”

“Inventividade pura, mas o nonsense vem até na hora de escolher os tecidos”

“Eu olho muito pra bainha e esse lance de fazer bainha em seda é complicado. Ninguém aqui é Alber Elbaz!”

“Um teatro triste”

“Uma roupa para todas as mulheres, democrática, mas ainda não vi ninguém com elas”

“O que importa é a performance”

Com base nessas frases eu escreveria que:

As duas primeiras marcas, Athria Gomes e Ianire Soraluze, abusaram do retrô que deveriam deixar guardao no passado e apostar no futuro delas como criadoras de moda e procurarem encontrar pra que mulher elas desenham suas roupas.

Ivan Aguilar acerta em novas peças, fez um desfile certeiro, mas errou nos tecidos tecnológicos de algumas peças, mas cada vez mais mostra vigor e novidades em suas construções

Marcelu Ferraz deixa o desenho de figurino, mas não por completo, mas dá um bom passo para aquilo que chamamos de fashion. Ele começa a orientar a sua moda.

Já P´tit agrada com a performance, mas tem que cuidar melhor do acabamento de algumas peças.

Será que faria feio? Será que escrevi algum disparate? Foram apenas muitos pontos de vista filtrados pelo meu.

Anúncios

6 Respostas para “CASA DOS CRIADORES: POR UM JORNALISMO LIVRE E NEGLIGENTE

  1. Pingback: Casa de Criadores - terceiro dia « . ABOUT FASHION .

  2. É bem por aí. O nível foi tão fraco que nem precisava ver in loco pra constatar. O resultado é que o Aguilar (com boa coleção, correta) e suas referências Slimanescas e da Burberry foi o destaque. Vai lá: http://www.hypercool.wordpress.com
    Bjs.

  3. eu to fazendo a cobertura por fotos e comentando os looks que eu gostei. e olha, escolher os que eu mais gostei desse terceiro dia tá dificil. por isso que o post ta demorando pra entrar.

    no mundo em que vivemos hoje, que a informação é captada em qualquer lugar do planeta, quem pensa que fazer cobertura de desfiles por fotos é ruim, só pode (no minimo)ser atrasado e antigo.

    abs!

  4. como uma pessoa que também acompanhou apenas por backstage, assino em baixo tudo o que disseram e que você filtrou! 😀

  5. Meu amor, isso também acontece no futebol, onde muito radialista/jornalista desportivo narra o jogo vendo as imagens pela televisão no conforto do estúdio. Ou cometa todo o jogo vendo apenas um tape compacto.

    Não é feitiçaria, é tecnologia!

    E ponto de vista é tudo, já disseram a Heidi Klum, o Michael Kors e a Nina Garcia em Project Runway!

    Já você, com sua atitude, faria feliz o Tim Gunn, que sempre diz: Make it Work, make it work!

    E você lá na recenseadora fashion colheu as opiniões e fez acontecer, aghazza na radiosa!

  6. tuitando os posts antigos? =)

    ameeeeeeeei esse aqui, e numa crise de metideza, preferi minha comparação com atrizes/personagens sobre o desfile de agora do Gaultier (alta costura) do que o Style.com dizer que foi inspirado na Lady Gaga ¬¬ hehehe

    bjs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s