A MODA PODE SER ARTE, APESAR DE NÃO PRECISAR

O Ricardo Oliveros a partir de um post meu e de um texto da Biti sobre uma excelente entrevista com o poeta concreto Décio Pignatari levantou a questão e já respondeu: a moda não é arte.

Se ele está falando das 6 belas artes que consiste em Música, Dança, Pintura, Escultura, Poesia (Literatura) e Teatro realmente a moda não se encaixa.

E muito menos nas noções medievais e as chamadas artes liberais, que se dividiam em Trívio (Gramática, Retórica e Dialética) e Quatrívio (Aritmética, Geometria, Astronomia e Música).

Como divido apartamento com o Ricardo, perguntei a ele que arte ele estava se referindo e ele me respondeu que eram as Artes Plásticas.

Acho estranho ela ser chamada de Arte (nos Estados Unidos pelo menos eles falam Visual Art), mas entendo a megalomania dessa manifestação. A chave está em seu grande projeto de início revolucionário nas décadas de 1950 e 1960 em que ela salta verdadeiramente do quadro e escapa da escultura para procurar seu lugar em outros padrões. Daí as performances, as instalações, os objetos, a vídeo-arte e as inúmeras demais conjunções com as outras artes. A essência de uma boa parte da arte contemporânea e, com certeza, o discurso dominante dela hoje passa por essa bula.

Dentro desse receituário, as Artes Plásticas podem sim retirar fundamentos da moda para a construção de seu conceito. Mas está muito correto o Ricardo em dizer que Moda não é Arte(s) Plásticas, nem nunca será. Até porque (e isso desenvolverei melhor na minha coluna no Blogview) é a Arte(s) Plásticas (hoje personificada na figura dos galeristas, curadores e por fim artistas) que decide o que é Arte ou não. E se algo da Moda virar Arte(s) Plásticas na concepção demiúrgica desse triptico, ela deixa de ser Moda e vira Arte.

Posto isso, temos que pensar que a Moda, uma manifestação típica da passagem da Idade Média para a Idade Moderna traz em seu específico uma capacidade híbrida de multiplicação. Híbrida porque, mesmo sendo em princípio um produto artesanal tem no molde (a gravura sem numeração da Moda) o seu desdobramento serial.Ao lado das manifestações modernas como o Cinema, a Fotografia, o Design, ela tem em seu DNA a capacidade de reprodutibilidade técnica.

Isso por muito tempo fez com que essas manifestações fossem desconsideradas artísticas porque na visão tradicional da arte o objeto deve ser único e perene.

Com o advento da subjetividade e sua força cada vez maior nos séculos 19 e 20, a quebra de hierarquias no conceito de arte e o deslocamento da importância do objeto em si para a importância da conjunção Integridade, harmonia e radiância para qualquer tipo de manifestação, a chamada Arte (manifestação estética do espírito) pode encontrar seus ecos em outras áreas além das 6 belas artes.

 No começo do século 20, quando as imagens cinematográficas produziam proezas estéticas, era um absurdo pensar que o Cinema era Arte e hoje todos o conclamam como a sétima arte.

E talvez assim será com a Moda. Ela pode sim alcançar momentos de grandes manifestações artísticas, mas ela é livre e não precisa dessa grife para achar sua plenitude  

E nesse ponto eu concordo plenamente com o Oliveros. legonaholanda_f_005.jpg Lego encontrado em uma praia da Holanda

Se for de um artista (plástico), é arte

Se for de um “qualquer”, é apenas uma brincadeira

E se for de um estilista?

Anúncios

9 Respostas para “A MODA PODE SER ARTE, APESAR DE NÃO PRECISAR

  1. HAHAHAH…Julian Marcuir foi sensacional. Vi, eu tbém não acho a oitava maravilha não. Acho legal, bem usável, comercial bonitinho e competente. Os looks do site são N vezes melhores do que os do desfile. Se puder olha lá.

  2. A gente vai continuar a discussão, tanto no apê, quanto nos blogues. Só uma retificação: o projeto da arte contemporânea e dissolução das fronteiras entre arte e vida, começa muito antes da década de 40 e 50. Duchamp é a uma boa referência, com seu Urinol em 1916.
    E ainda concerne ao artista a primazia de dizer se o que ele faz arte. Aos galeristas cabe dizer se aquilo é vendável ou não. E aos críticos (poucos) ampliarem a capacidade de entendimento do objeto artístico e suas relações.
    Agora, no fim de tudo, é isso, estou procurando a afirmação da Moda per si, porque ela é uma manifestação ímpar da compreensão da vida contemporânea.

  3. sim Ricardo, podemos pegar o Duchamp, mas temos que lembrar que ele é arte moderna, assim como Velasquez é barroco mas não impede de waltércio Caldasdizer que Las Meninas é uma instalação. então seria Velazques arte contemporânea.assim como duchamp.
    Eles trazem embriões, ams o projeto mesmo só bem mais pra frente.
    A arte contemporanea se consolida em 50 e 60 com beyus, pop, jasper johns, fluxus. Antes temos casos isolados.
    e como disse moda não é arte, mas pode ser Arte se quiser

  4. ai, putada, vamo bebê!
    bjssss
    mari

  5. Pingback: Por onde costura a agulha de Karlla Girotto « BlogView

  6. Pingback: Karlla Girotto comenta artigo no BlogView « Fora de Moda

  7. sem dúvida que moda é “tornável” em Arte, apesar de não o necessitar, mas se de facto as artes visuais e performativas se juntarem no universo da moda, quem sabe que tipo de “desfiles” nos reservará o futuro?

  8. Pessoas, desculpe me entrometer.
    Mas certos argumentos usados se tornam totamentel ignorantes.
    Como assim “Lilith” ?
    você ao menos uma vez assistiu um desfile?
    eles usam de forma descarada artes visuais e performaces.
    Moda quando conceitual é Arte sim, o próprio Duchamp nos deixou a pensar, afinal de contas o que é Arte?, ela pode ser e estar em qualquer coisa, dependendo somente do o olhar de seu criador para tornar-se tal, a partir do momento em que expressa-se sensações internas para o estético pode sim ser considerado Arte.

    Abraços do Futuro.

  9. A pergunta é: O que Arte?

    Entendo que arte é uma criação humana com valores estéticos (beleza, equilíbrio, harmonia, revolta, etc) que sintetizam as suas emoções, sua história, seus sentimentos, sua visão de mundo, do seu mundo, uma forma de de se comunicar e entender a sua cultura, etc,etc. É um conjunto de procedimentos utilizados para realizar obras, e no qual aplicamos nossos conhecimentos. Apresenta-se sob variadas formas como: a artes plástica, a música, a escultura, o cinema, o teatro, a dança, a arquitetura etc. Pode ser vista ou percebida pelo homem de diversas maneiras e algumas delas são: visualizadas, ouvidas, sentidas, tocas. Há também as que alguns tipos que permitem que o apreciador participe da obra; O artista precisa da arte e da técnica para se comunicar.

    Por tanto queridos amigos, considero a Moda uma excelente maneira de se comunicar. Há diversas possibilidades para este ato, o grande diferencial é que além de revelar beleza e criatividade, ela pode ser usada no corpo, no dia a dia de cada um!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s